A SSVP

A Sociedade de São Vicente de Paulo

FUNDADORES
QUEM FOI FREDERICO OZANAM?

  • Frederico Ozanam

                                               A Sociedade de São Vicente de Paulo foi fundada em um contexto muito importante na França (1833). A primeira                                                                     reunião ocorreu em 24 de abril de 1833, na sede do Jornal A Tribuna Católica, de propriedade de Emanuel Bailly.                                                                    Junto com ele, estavam os jovens Antônio Frederico Ozanam, Auguste Le Taillandier, Jules Delvaux, Paul Lamache,                                                                François Lallier e Félix Clavé.

                                               Os jovens estudantes procuravam, com a criação da Conferência de Caridade, criar um espaço onde pudessem                                                                     fortalecer sua fé contra as ideologias materialistas na época nascentes, por meio do serviço aos necessitados.

                                               No Brasil, a SSVP chegou em 1872. A primeira Conferência brasileira foi batizada de São José.

                                              O principal fundador da SSVP é Antonio Frederico Ozanam. Foi estudante, professor de Direito, formado também em                                                             Letras, na Universidade de Sorbonne. A grande influência de suas ideias converteu diversas pessoas ao catolicismo e      seu entusiasmo ajudou a expandir a presença da SSVP no mundo. Foi beatificado pelo Papa João Paulo II, em agosto de 1997. Atualmente, existe uma causa de canonização de Frederico Ozanam em análise pelo Vaticano.

QUEM FOI SÃO VICENTE?

Vicente de Paulo nasceu na cidade de Pouy, na França, aos 24 de abril de 1581. Filho de pobres camponeses, manifestou o desejo e gosto para o estudo. Entrou para o seminário e foi ordenado padre ainda bem novo, com apenas 19 anos de idade.

O início de sua vida sacerdotal foi marcado por muitas dificuldades e desacertos. Inicialmente, estava muito preocupado em ajudar sua família e em conseguir certa estabilidade financeira. Diante de uma série de fracassos, foi amadurecendo e, sobretudo a partir de 1612, se lançou inteiramente no serviço aos pobres.

Em contato com os camponeses, conheceu o estado de abandono religioso e miséria em que viviam as populações do campo. Percebeu que os pobres tinham necessidades urgentes e que, para ser fiel a Cristo, era preciso servi-los. Começou, então, a pregar missões entre os pobres e a organizar diversas organizações de caridade.

Passando a residir em Paris e enfrentando uma época de guerra, confusão política, de grandes problemas sociais e de desorganização da Igreja, Pe. Vicente de Paulo passou a se dedicar inteiramente à evangelização e serviço dos pobres. Para este fim, fundou a Congregação da Missão e a Companhia das Filhas da Caridade. De muitas maneiras e com criatividade, desenvolveu uma intensa ação caritativa e missionária, sempre contando com os padres e irmãos de sua Congregação, com as irmãs de Caridade e com muitos leigos e leigas generosos.

Entendia que o pobre é a imagem de Cristo desfigurado a quem devemos servir. E a Igreja deve estar a seu serviço. Por isso, atuou na reforma da Igreja, sobretudo muito colaborando na reforma do clero.

“Voltemos nossa mente e nosso coração para São Vicente de Paulo, homem de ação e oração, de organização e de imaginação, de comando e de humildade, homem de ontem e de hoje. Que aquele camponês das Landes, convertido pela graça de Deus em gênio da caridade, nos ajude a todos a pôr mais uma vez as mãos no arado – sem olhar para trás – para o único trabalho que importa, o anúncio da Boa Nova aos pobres…“

(João Paulo II)

Por todo seu legado, em 1834, a Conferência de Caridade, resolveu homenagear o Vicente como patrono da obra. Foi quando se deu o nome da nossa instituição: Sociedade de São Vicente de Paulo.